Notícias

Nova espécie de macaco na Amazônia

Pequeno primata do gênero Callicebus ainda não foi descrito, mas para o biólogo que o descobriu a espécie ainda é desconhecida pela ciência

Vandré Fonseca ·
29 de agosto de 2011 · 10 anos atrás
A nova espécie descoberta do gênero Callicebus. Crédito: Júlio Dalponte.

Manaus, AM – Uma nova espécie de macaco foi descoberta na Amazônia. Ela pertence ao gênero Callicebus, conhecido como zogue-zogue, e foi coletada durante a Expedição Guariba-Roosevelt, em dezembro do ano passado, mas ainda não foi descrita. O pequeno primata apresenta cores diferentes de outras espécies do mesmo gênero, segundo o biólogo Júlio Dalponte, responsável pela descoberta. “Este primata tem detalhes na cauda e na cabeça que não foram vistos até agora em outros zogue-zogues originários desta área”, descreve.

A expedição Guariba-Roosevelt foi realizada entre os dias primeiro e 20 de dezembro de 2010, em quatro unidades de conservação no noroeste do Mato Grosso (Reserva Extrativista Guariba-Roosevelt, Parque Estadual Tucumã, Estação Ecológica Rio Madeirinha e Estação Ecológica Rio Roosevelt). Ela foi promovida pelo WWF-Brasil e pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Mato Grosso. O objetivo foi coletar informações e fazer um diagnóstico ambiental destas reservas. O trabalho será consolidado com a publicação oficial dos planos de manejo das unidades de conservação, ainda este ano.

Para Júlio Dalponte, biólogo que fez a descoberta, a espécie ainda é desconhecida pela ciência. Crédito: Lui Dalponte.

A nova espécie de zogue-zogue foi encontrada entre os rios Guariba e Roosevelt, entre os mais importantes do estado. O espécime foi depositado (tombado) no Museu Paraense Emílio-Goeldi, em Belém (PA) e agora faz parte da coleção do museu. “Ainda faremos sua descrição e publicaremos estudos mais detalhados sobre ela, mas não há dúvida de que seja uma nova espécie”, conta Júlio Dalponte. A descrição, com estudos físicos e biológicos, deve levar ainda seis meses para ser concluída.

“A perda de habitats naturais continua sendo uma grande ameaça para a biodiversidade brasileira. Por isso, é muito importante a criação e implementação de unidades de conservação com a coleta de informações e elaboração dos planos de manejo”, afirma o coordenador do Programa Amazônia do WWF-Brasil, Mauro Armelin.

 

Leia também

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta