Notícias

Desmatamento aumenta pelo quarto mês consecutivo, diz Imazon

Em dezembro, foi registrado aumento de 107% de perda florestal, em comparação com o mesmo mês de 2011: 82 Km de floresta desapareceram.

Daniele Bragança ·
18 de janeiro de 2013 · 9 anos atrás

Visualizar Desmatamento na Amazônia Legal – Dezembro 2012 em um mapa maior

É temporada de chuvas na Amazônia. Mesmo com o mal tempo, o desmatamento aumentou 107% no mês de dezembro, em comparação com o mesmo mês de 2011. Os dados foram divulgados hoje (18) pela ONG Imazon, que faz o monitoramento independente do desmatamento na região. De acordo com a ONG, esse é o quarto mês seguido que os números do desmatamento aumentam.

De 40 quilômetros quadrados (km2) registrados em dezembro de 2011, o desmate pulou para 82 km2 em dezembro de 2012. Os dados foram detectados com mais da metade (57%) da área florestal sob nuvens, o que dificulta a visualização das imagens detectadas pelo satélite. Em dezembro de 2011, as nuvens encobriram 76% do território da Amazônia Legal, o que significa que o aumento pode não ter sido tão brusco como o apresentado, já que no ano passado a má visibilidade pode ter subestimado o desmatamento no mês de dezembro.

A maioria do desmatamento ocorreu em Mato Grosso (57% da área desmatada aferida), seguido pelo Pará (27%), Rondônia (10%) e Amazonas (6%).

“Em Relação ao Mato Grosso, é necessário destacar que, em novembro, esteve praticamente todo encoberto por nuvens. Então, os desmatamentos ocorridos naquele mês podem não ter sido detectados e terem sido contabilizados só em dezembro”, explica a ((o)) eco Heron Martins, engenheiro ambiental  do Imazon. “No Pará, 70% da área do estado estava encoberta por nuvens, limitando o monitoramento em dezembro. Entretanto, considerando o acumulado no período agosto-dezembro, o Pará lidera”.

Desmatamento de agosto de 2011 a dezembro de 2012 na Amazônia Legal (Fonte: Imazon/SAD).
Desmatamento de agosto de 2011 a dezembro de 2012 na Amazônia Legal (Fonte: Imazon/SAD).

Os dados do período de agosto a dezembro de 2012 mostram que houve aumento de 127% sobre o período agosto-dezembro de 2011. O desmatamento saltou de 568 para 1.288 km2 registrados no último período.

Aumenta desmatamento em Terras Indígenas
A má notícia veio das Terras Indígenas, que normalmente desmatam pouco. Em dezembro, elas representaram 17% da área desmatada, ficando em 2º lugar no ranking dos campeões do desmatamento. Áreas privadas ou sob diversos estágios de posse registraram 71% do desmate no período e se mantiveram o primeiro lugar no ranking.

Terra Indígena desmatadas na Amazônia Legal em dezembro de 2012 (Fonte: Imazon /SAD).
Terra Indígena desmatadas na Amazônia Legal em dezembro de 2012 (Fonte: Imazon /SAD).

O destaque foi para a terra indígena Marãiwatsédé, localizada em Mato Grosso, que desmatou 6,1 km², dos 14 km² desmatados nas terras indígenas em dezembro.

“Em relação ao tipo de terra onde ocorreu o desmatamento, a cobertura de nuvens também foi relevante. As Terras Indígenas localizadas no Mato Grosso tiveram melhor visibilidade, facilitando o monitoramento. Entretanto, a TI Marãiwatsédé é considerada uma das áreas protegidas mais ameaçadas da Amazônia”, afirmou Martins.

No mês passado,  ((o))eco, analisou os dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do INPE. O tamanho da devastação nesta Terra Indígena entre janeiro e outubro do ano passado foi de  88,5 km2, colocando Marãiwatsédé no 1o lugar do ranking de alertas de desmatamento em 2012.

*Matéria editada em 21/01/2013. Erramos: são 4 meses de aumento consecutivo medidos pelo Imazon, a partir de setembro.

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta