Notícias

Desmatamento na Amazônia em setembro chega perto de 1000 km², aponta INPE

Sistema de alertas Deter indica que este é o segundo pior setembro da série histórica. Números ficam atrás apenas de 2019, quando os alertas indicaram perda de 1.454 km²

Cristiane Prizibisczki ·
13 de outubro de 2021

O desmatamento na Amazônia em setembro voltou a bater quase 1.000 km², segundo dados divulgados na última sexta-feira (8) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Os alertas do sistema Deter indicaram perda de 984,6 km² no mês, o segundo pior setembro desde 2015. Os números ficam atrás apenas de 2019, quando a área perdida foi de 1.453 km². 

Os alertas de desmatamento, de fato, tiveram um salto na gestão Bolsonaro. A média de alertas dos três anos da atual gestão, para o mês de setembro, é 85% maior que os três anos anteriores a 2019.

“O efeito da política do governo federal, claramente contrária ao clima, à biodiversidade e aos povos da floresta fica evidente quando observamos os alertas de desmatamento. Basta comparar os três anos pré e pós governo Bolsonaro para comprovar que o patamar de destruição assumiu níveis muito superiores, e inaceitáveis perante à emergência climática que vivemos no Brasil e no mundo”, diz Cristiane Mazzetti, porta-voz da campanha Amazônia do Greenpeace.

O estado que mais acumulou alertas foi o Pará, com 328 km² de área perdida. Em seguida vem o Amazonas, com 229 km², e Rondônia, com 209 km².

Os alertas mensais, no entanto, não dão uma noção clara sobre o quadro geral de destruição. Em agosto, por exemplo, os alertas indicaram queda de 32% em relação ao mesmo mês do ano passado. O dado, inclusive, foi comemorado por Bolsonaro na Assembleia da ONU. Mas a tendência de queda só é verificada quando acontece mês a mês, de forma consistente.

No acumulado do ano (janeiro a setembro), a Amazônia já perdeu 7.010 km², quase o mesmo valor registrado em 2020, quando foram perdidos 7.063 km² no mesmo período. A média dos três anos de Bolsonaro (2019/2020/2021) é 91% maior do que os três anos anteriores à atual gestão (2016/2017/2019), quando considerado o mesmo período (janeiro a setembro).

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
20 de setembro de 2021

Desmatamento na Amazônia até agosto é 48% maior que mesmo período em 2020

Acumulado do ano chegou a 7.715 km², a maior cifra da década. Somente em agosto foram desmatados 1.606 km², área equivalente a cinco vezes Belo Horizonte

Notícias
8 de setembro de 2021

Amazônia perdeu cerca de 44 milhões de hectares para agropecuária em 35 anos

Área equivale a nove vezes o estado do Rio de Janeiro. Maior parte da área convertida se transformou em pasto, revela levantamento do MapBiomas

Reportagens
16 de agosto de 2021

Em julho, devastação cai mais onde Exército não atua

Apesar de vice-presidente afirmar que resultados são “bem animadores”, alertas de desmatamento nos 26 municípios da operação militar ficaram praticamente no mesmo patamar de 2020; multas caíram 30% nessas áreas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta