Reportagens

Ativistas pedem ação contra as mudanças do clima

Marcha realizada durante a COP 17, em Durben, cobra líderes postura ativa para negociar um segundo período de compromissos no Protocolo de Quioto.

Flávia Moraes ·
5 de dezembro de 2011 · 10 anos atrás

 

 

Em clima pacífico, representantes de vários países realizaram neste sábado protestos na cidade onde ocorre a 17ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. A Marcha do Clima em Durban, em comemoração ao Global Action Day, pediu ação dos líderes políticos contra o aquecimento global. Esta semana começa a rodada decisiva para decidir sobre novas metas para a redução de gases de efeito estufa.

Policiais armados e camburões marcaram presença, mas eles não tiveram trabalho algum. Cantando e dançando, os protestantes só queriam mostrar o seu descontentamento sobre a demora das negociações para uma segunda fase do Protocolo de Quioto.

A caminhada começou no Jardim Botânico da cidade e seguiu até o ICC (International Convention Centre), onde alguns representantes discursaram pedindo uma ação efetiva dos países desenvolvidos na COP17.

Manifestação contra o uso de energia nuclear e da forma como alguns projetos de REDD+ desrespeitam os direitos indígenas, questionamentos sobre o futuro do planeta com um aumento de 2 graus celsius na temperatura, dificuldades com a agricultura enfrentadas pelas camponesas sul-africanas também marcaram a Marcha do Clima (veja galeria de fotos).

Nesta semana, ministros de todos os países chegam a Durban para decidir o futuro do Protocolo de Quioto. Eles têm até sexta-feira, 09, para definir se haverá uma segunda fase, quantos anos ela deveria ter, quais países terão metas obrigatórias de redução de gases estufa, além de questões ligadas ao Fundo Verde Clima (fonte de recursos, funcionamento e formação da equipe coordenadora).

LEIA A COBERTURA COMPLETA DA CONFERÊNCIA DA ONU SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

 

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta