Salada Verde

Ministério Público instaura processo para investigar vazamento de óleo no Rio Teles Pires

Órgão Federal realizou procedimento após vazamento que ocasionou o desabastecimento de água em várias aldeias indígenas

Sabrina Rodrigues ·
23 de novembro de 2016 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Ministério Público investiga vazamento de óleo no Rio Teles Pires. Foto: Christopher Borges/Flickr.
Ministério Público investiga vazamento de óleo no Rio Teles Pires. Foto: Christopher Borges/Flickr.

Na sexta-feira (18), o Ministério Público Federal em Mato Grosso instaurou processo para investigar o vazamento de óleo que atingiu o Rio Teles Pires, na divisa com o Estado do Pará. O vazamento foi detectado pelos índios caiabi e ocasionou o desabastecimento de água em diversas aldeias indígenas localizadas à margem do rio, prejudicando a pesca. O procurador da República Marco Antônio Ghannage Barbosa solicitou para a Coordenação de Emergências do Ibama informações sobre o caso, em caráter de urgência. O MPF solicitou ainda a abertura de inquérito policial à Superintendência de Polícia Federal de Mato Grosso para investigar a prática de crime ambiental. Segundo o Ibama, no dia 10 de novembro, a Empresa de Energia São Manoel realizou a remoção de um ensecadeira _ estrutura de pedra e terra _ para o desvio do rio, a fim de que possibilitar a construção da usina, ação que foi licenciada pelo órgão federal. O Ministério Público Federal afirmou que “Apesar de não haver ainda uma ligação direta entre a atividade e o vazamento de óleo, o acidente foi ocasionado na mesma data e no mesmo local do rio”.

Fonte original: Estadão

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta