Vídeos

Energia solar na Argentina contra o desmatamento

Instalações solares evitam o desmatamento e melhoram a qualidade de vida em oito povoados no interior da Argentina.

Jürgen Schneider ·
7 de setembro de 2012 · 9 anos atrás

 

As pessoas em Jujuy, no noroeste da Argentina, têm uma vida difícil. Como quase não há mais trabalho nesta antiga região de minas, muitos moradores já emigraram. Os lugarejos situam-se em até quatro mil metros de altitude no planalto de Puna, próximo à fronteira com a Bolívia.

A incidência solar é intensa, o ar é rarefeito e as noites são extremamente frias, mesmo no verão. Para aquecer suas casas, os habitantes desmataram grande parte da vegetação. Agora, instalações de aquecimento solar combatem a ameaça de desertificação.

Forma de energia: Solar

Objetivo do projeto: Evitar o desmatamento e melhorar a qualidade de vida

Amplitude do projeto: Instalações solares para oito lugarejos, entre os quais 350 fogões solares, 81 sistemas de água quente e 10 sistemas de calefação nas escolas

Volume de investimentos: 466 mil euros nos últimos sete anos

Redução de emissões de CO2: Cerca de 1.100 toneladas por ano nos oito povoados envolvidos no projeto

Um filme de Jürgen Schneider

Esse conteúdo é publicado em uma parceria de ((o))eco com a Deutsche Welle, emissora pública alemã
 


Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta